“Não quero mais ser executiva” (e isso não é ruim)

Por Brenda Fucuta  |  Carreira e Dinheiro, Entrevistas, Noticias  |  102 Comentários

No ano passado, uma das maiores movimentações da robusta indústria de beleza do Brasil aconteceu quando a administradora Andrea Mota, hoje com 46 anos, decidiu abrir mão do cintilante cargo de diretora geral de O Boticário, unidade de negócios que responde pelo maior faturamento do Grupo Boticário. Na gestão de Andrea, O Boticário se tornou uma das marcas mais admiradas do país e a unidade de negócios dobrou de tamanho. Andrea também participou do lançamento da operação de vendas porta-a-porta combinada com a de franquias, num modelo inédito no mundo. Por que Andrea saiu? Neste depoimento exclusivo ao Mulheres Incríveis, ela conta como foi tomar a decisão de recriar seu futuro.

Andrea Mota, ex-diretora geral de O Boticário

Andrea Mota, ex-diretora geral de O Boticário

Por Andrea Mota

“Eu estava de férias. Era janeiro, era a Bahia, onde nasci e tenho casa, e era com a minha família, meu marido e meus dois filhos. O esquema tradicional: férias renovadoras depois do pico de trabalho do último trimestre do ano. Fechamento de resultados, Natal, plano de novas metas. Não é novidade para os executivos: a gente se esfola nessa época. O descanso vinha funcionando em 24 anos de carreira executiva. Mas, em janeiro de 2014, foi diferente. Eu não me recuperei. Ao contrário. Meus braços ficaram paralisados, minha cabeça doía de um tão jeito terrível que cheguei a pensar, seriamente, que estava tendo um derrame.

Não foi um AVC. Eu estava com a síndrome de burn out, segundo o diagnóstico do meu médico, depois de analisar uma imensa bateria de exames. A síndrome é uma doença nova, descrita como um transtorno de ansiedade que afeta quem se sente inundado de estímulos. Um estado extremo de exaustão, de apagamento. “Durma, desacelere, mude o ritmo. Mude.” Este foi o tratamento receitado pelo médico. Além dele, precisei me amparar numa outra série de terapias. Montei uma equipe multidisciplinar para me ajudar: psicanalista, massoterapeuta, personal trainner, coach, homeopata. Um ano e meio depois, essa equipe ainda está comigo.

“Não dá para evitar o terceiro turno, as viagens, os eventos e os jantares com clientes, com fornecedores. É uma dinâmica devastadora, em alguns momentos

 Apesar do choque, voltei ao trabalho, em Curitiba, sete dias depois do episódio na Bahia. Contei em detalhes pro Artur Grynbaum, meu chefe, presidente do Grupo Boticário, o que tinha acontecido e combinamos um retorno mais suave. De fato, tentei trabalhar menos e me cuidar mais. Mas não é assim que pode funcionar a rotina de quem tem que entregar as metas de uma das maiores empresas de beleza do Brasil e a primeira de franquias de cosméticos do mundo. Não dá para trabalhar metade das doze ou catorze horas diárias, não dá para evitar o terceiro turno, as viagens, os eventos e os jantares com clientes, com fornecedores. É uma dinâmica devastadora, em alguns momentos. Suponho que, para as mulheres, seja mais ainda. Não posso generalizar, claro, mas a realidade de uma executiva é bem diferente da de um executivo. Eu era a única mulher entre 6 diretores executivos que respondiam ao presidente. E nenhuma das mulheres dos meus colegas trabalhava fora.

“Não conseguiria e não queria mais ser a diretora executiva do Boticário. Foi uma conversa triste”

Diminuí bastante o número de viagens em 2014, mas não foi suficiente. Sem que eu tivesse consciência, acho, a chave já tinha virado, a mudança estava acionada. Seis meses depois, em setembro, anunciei minha saída. Não conseguiria e não queria mais ser a diretora executiva da maior unidade de negócios da empresa, O Boticário. Foi uma conversa triste com o Artur. Repassei toda minha carreira na empresa, agradeci o reconhecimento, o apoio, a liberdade de trabalho que ele me deu. Choramos.

O Artur perguntou se eu queria pensar numa outra posição…. Mas eu precisava me desconectar. Sabe quando você é viciada numa coisa? Você precisa se desintoxicar se quiser uma nova vida. E não estou falando apenas de O Boticário. Recebi convites de trabalho de cinco ou seis outras empresas. Mas não quero mais ser executiva.

Estávamos na sala dele, aprovando o plano operacional de 2015 e começando a falar da necessidade de um novo plano estratégico quando percebi que não podia continuar. Não foi algo que preparei para falar naquele dia, mas também não dá para dizer que foi uma decisão apressada. Eu sabia o que estava fazendo quando disse a ele que não era mais a pessoa certa para continuar tocando o negócio. Tinha tomado essa decisão em julho, durante uma folga que tirei na Copa para ficar com meus filhos.

 “Muitos resultados foram entregues quatro anos antes do planejado mas eu não me sentia mais feliz”

Minha carreira no grupo começou em 97. Eu era gerente regional. Cinco anos depois, fui promovida a diretora comercial e, depois, a diretora de marketing e vendas.

Foi sempre desafiador, mas os últimos oito anos foram mais. Em 2007, iniciei um plano estratégico para 10 anos de crescimento do negócio. Meus filhos, gêmeos, tinham 1 ano de idade apenas, mas mesmo assim, durante 18 meses, comi muita pizza tarde da noite à mesa com meus funcionários e consultores. Em 2009, fiquei com a incumbência de implantar todo o plano, enquanto meu chefe e meus colegas iriam focar no crescimento a partir de novos negócios.

O Boticário é a maior unidade de negócios do grupo que se diversificou e lançou outras operações: Eudora, Quem Disse, Berenice?, The Beauty Box. Como diretora executiva do Boticário, eu tinha metas ousadas como multiplicar por 2,5 o market share, alcançar a liderança da perfumaria, reposicionar a marca e submarcas, revitalizar o portfolio, aumentar consideravelmente a receita. Entre 2007 e 2010, o a empresa dobrou de tamanho e, em 2014, minha equipe e eu tínhamos alcançado as metas projetadas para 2018. Apesar de serem ambiciosos, muitos resultados foram entregues quatro anos antes. Não seria natural me sentir feliz, muito motivada? Eu me perguntava “O que está acontecendo comigo?” Não entendia o estresse no lugar da felicidade. Acontece que eu já estava na rota irreversível do processo de autoconhecimento. Embora eu ainda não conseguisse me conectar com o que eu queria para o futuro, já tinha entendido o meu passado. Eu tinha tido sucesso, conhecido muitas pessoas e muita coisa, mas não queria repetir a história.

“Embora eu me considere uma boa mãe, minha vida estava tomada pelo trabalho. Era uma relação neurótica, excessiva”

Quanto comecei a cursar administração na UFBA, percebi que 90% dos meus colegas iam se preparar para assumir a empresa da família em algum momento. Era uma elite e eu só fazia parte dela porque tinha sido CDF na escola. Como minha família não tinha empresa, decidi que seria executiva. No primeiro semestre, eu já estava estagiando na Caixa Econômica Federal. Precisei de uma autorização especial da faculdade porque era caloura. Foi um período divertido. Vendi roupa na Benetton, morei nos Estados Unidos por dois anos, estudando no Regis College Denver, Colorado. Depois disso, entrei no banco de talentos do Banco Nacional. Cresci muito rápido e considero que minha carreira executiva começa aos 21 anos.

No processo de coaching que fiz no ano passado, foi pedido que eu preenchesse aquela clássica mandala com os diversos papéis na vida. Eu optei por desenhar umas bonequinhas que me representassem em cada papel. Bonequinha mãe, bonequinha filha, bonequinha esposa… A boneca do trabalho era enorme. Até tentei aumentar as outras, mas fui tendo dificuldade em extrair conteúdo daqueles papéis. Perceber o quanto eu era dependente do trabalho me incomodou e talvez o processo de autoconhecimento tenha começado ali. Minha vida estava tomada pelo trabalho, embora eu me considere uma boa mãe. Meus filhos são felizes, não tem dificuldade aparente, eu tomo lição antes das provas, vou às reuniões de escola. Eu administrava uma empresa que faturava 9 bilhões de reais, mas sabia o preço da consulta do dentista! Mesmo assim, aprendi na psicanálise que minha relação com o trabalho tinha virado uma relação neurótica, excessiva.

Entendi que a minha necessidade de ser independente explicava muita coisa. Quando meus pais se separaram, a vida ficou muito dura o que, imagino, forjou minha necessidade de independência financeira. Minha neurose pelo trabalho estava relacionada à sobrevivência e à independência, valores muito fortes.

“Assinei meu distrato, organizei a volta das crianças e passei por um período de detox da vida frenética”

Fui aconselhada a mudar, não a parar. Mas, ao tomar a decisão de sair do Boticário, quis um tempo de descanso e de reflexão. Assinei o meu distrato de diretora estatutária no dia 5 de janeiro de 2015. Organizei a volta às aulas das crianças e passei num spa, com meu marido, um período de detox da vida frenética. Depois de um mês acordando cedo, me alimentando com cuidado e me exercitando, eu retomei minha vida. Me dei alta dos remédios e passei pela fase de organizar tudo o que eu não tinha feito antes, principalmente em casa, e de planejar o futuro profissional. Foi uma sensação de muita paz, como se eu tivesse conseguido um tempo para me reinventar. Agora, na Fundação Dom Cabral, estou me preparando para ser conselheira. Uma possibilidade, entre tantos outras.

Lembro de uma palestra de um italiano em 2009. Ele dizia que nós fazíamos parte da primeira geração que chegaria aos 120 anos! Comecei a fazer as contas. A busca do resultado e as viagens sem fim da minha vida executiva já haviam consumido 25 anos, um terço da minha vida profissionalmente ativa se levarmos em conta o italiano. Ainda faltam dois terços. Posso me dedicar a uma nova profissão por mais 20 anos. Aos 67, ainda terei fôlego para uma terceira profissão. Mais dez anos. É só o começo do que espero, seja uma vida com menos excesso, menos volume e mais simplicidade.

mai
26
2015
  1. Fabiana Marin  26/05/2015 - 20:30

    Brenda, boa noite! Você teria como me passar o email da Andrea Mota?
    Grata,

    Fabiana Marin

    Responder
    • Brenda Fucuta  02/06/2015 - 15:59

      Oi Fabiana,
      não tenho autorização para passar o email da Andrea. Mas se vc quiser mandar uma mensagem, eu prometo enviá-la.
      abs

      Responder
  2. angela oliveira  26/05/2015 - 21:18

    Ela vai ser sucesso em qualquer situação. Até fazendo nada, aposto! Hic

    Responder
  3. Kelyman Andrade  26/05/2015 - 23:19

    A Andrea conseguiu unir e motivar mais de 900 franqueados durante anos a fio. Profunda conhecedora do ser humano e das verdades que permeiam as relações. Tem o meu respeito como franqueado O Boticário e como pessoa. Lembro perfeitamente da primeira vez que estive com ela logo depois de ser aprovado no processo de sucessão e assumir o cargo de operador quando ela me disse: prepare-se, agora vem a parte desafiadora do negócio, mas vc está preparado !
    Desejo sucesso Andrea! Um grande Bjo! E saudade!

    Responder
  4. Ricardo Teixeira  26/05/2015 - 23:24

    Sou homem,Gerente Executivo de Vendas de uma grande Empresa há 14 anos e já com 58 anos.Uma amiga enviou a sua história .Posso dizer que a sua história me inspirou.Sinto que a qualquer momento , darei uma guinada em outra direção e que Independente de gênero , o sentimento e os sintomas são os mesmos.A pior coisa que pode acontecer a um profissional, é este conseguir chegar lá e não usufruir desta conquista ,tornando-se apenas uma máquina de resultados,a custo de stress,distância da família,falta de tempo pra si próprio.Muito Obrigado por sua coragem,pois eu ainda estou um pouco longe desta resolução,mas seu relato traz uma esperança. A vida após a renúncia de uma posição almejada por muitos.Um abraço e seja feliz!

    Responder
  5. Maria Inez Périco  27/05/2015 - 00:37

    Parabéns pela Iniciativa. Infelizmente precisamos chegar a uma doença para entendermos que tudo o que é em excesso faz mal. Me parece que o ideal seja, equalizar vida pessoal e trabalho. Boa escolha a de conselheira.

    Responder
  6. Claudete Gonçalves resende  27/05/2015 - 08:23

    Parabéns Andréa vc sempre será um sucesso! Escolha certa são aquelas que fazem bem p gente. Vc e todos nós merecemos a felicidade! E vc sabiamente está no caminho certo e na hora certa! Um grande abraço é tudo de bom p vc e sua família! Sentiremos sua falta, apareça de vez Emquando, Foi ótimo entender o que aconteceu, Foi mesmo muito estressante é difícil tudo que aconteceu, também tivemos este sentimento.

    Grande abraço

    Claudete Gonçalves Resende
    Franqueada ( Minas Gerais)

    Responder
  7. Ana Barbosa  27/05/2015 - 08:55

    Parabens pela coragem, pois temos que saber nossa hora, pq a vida é uma só e passa rápido demais.

    Responder
  8. Camila Capel  27/05/2015 - 09:10

    Entendo a Andrea 100% e tb saí do Goldman Sachs no inicio desde ano (2015) pois apesar de uma carreira executiva promissora, eu não estava feliz… Por mais que tentasse, não era possivel o equilibrio… Resolvi dar um tempo, desintoxicar e repensar. Estou fazendo uns cursos e trabalhos voluntarios com foco em desenvolvimento de pessoas e comunidades. Afinal, a base de toda e qualquer realização estão nos relacionamentos.

    Responder
  9. DEBORA CLAVEL  27/05/2015 - 09:39

    Trabalhei No O Boticario durante anos e sempre admirei Andrea por sua perseverança,sempre muito dedicada no que fez.

    Responder
  10. Carol Ferreira  27/05/2015 - 09:59

    Entrevista maravilhosa!!! Sem palavras. Sou franqueada do Boticário e fã da Andrea. Tenho certeza que ela já está se recuperando e continuará a ter sucesso na sua vida, tanto profissional quanto pessoal.

    Responder
  11. Cinthia  27/05/2015 - 10:12

    Guardadas as proporções, fiz algo muito parecido em 2013. Depois de 16 anos como gerente de banco, dois filhos, sai da correria do mercado financeiro. Agora tenho um negócio próprio que me faz trabalhar muito, mas perto de casa e com meus filhos e marido junto. Ganho menos dinheiro mas sinto-me muito mais feliz!

    Responder
  12. Izabela  27/05/2015 - 10:13

    Um orgulho ter trabalhado com essa mulher admirável!!!!

    Responder
  13. Nária Oliveira  27/05/2015 - 10:19

    Gostei muito da leitura desse texto e admiro a coragem da Andrea em tomar uma decisão tão difícil.
    Ás vezes usamos o futuro para escapar do presente, e nem sempre essa é a melhor escolha.
    A história da Andrea irá inspirar muitas mulheres que se encontram no labirinto, perdidas, tentando encontrar a porta certa para a verdadeira realização.
    Já me senti assim, perdida. Felizmente encontrei uma oportunidade que está enriquecendo a minha vida. Ainda estou engatinhando na carreira Mary Kay, mas chegará o dia onde vou correr ao encontro do sucesso e principalmente da minha realização profissional e pessoal.
    Desejo que a Andrea possa encontrar o caminho que o fará se sentir feliz, realizada e importante.

    Responder
  14. Ivania Souza  27/05/2015 - 11:07

    Parabéns pela coragem, fiquei imensamente feliz por você ter compartilhado essa bela historia conosco, abraços de luz

    Responder
  15. Karolinne E. Froguel  27/05/2015 - 11:17

    Foi um privilégio trabalhar com uma pessoa tão incrivel!Sou fã!

    Responder
  16. Ana Adad  27/05/2015 - 11:19

    Quando pedi demissão há 2 anos numa grande empresa, meus chefes não acreditaram quando falei que me sentia uma fraude como profissional e como mãe. Foi aos prantos que “abri mão” de uma posição privilegiada porque o meu limite estava no fim. Me identifiquei com cada linha, parabéns por retratar de forma tão honesta e sincera o que centenas de executivas vivenciam. Esta é uma escolha de coragem, simplicidade e sabedoria. Poucas profissionais abdicam destas conquistas como você. Sucesso sempre!

    Responder
  17. Valfrido Gerosino Filho  27/05/2015 - 11:19

    Vivemos num mundo selvagem, onde só o resultado a qualquer custo interessa. Áreas físicas de trabalho e desafios insanos, que deixam em segundo plano a qualidade de vida, a família e o próprio ser humano. O pior, é que em função de uma promoção na empresa, o funcionário sujeita-se a tudo isso como se fosse normal e gratificante. É preciso, começar a dizer NÃO ao despotismo das grandes corporações, pois dinheiro e poder não é tudo, o bem estar a vida e a família valem muito mais. CHEGA, DIGAM NÃO!

    Responder
  18. Adelaide |Rossini de Jesus  27/05/2015 - 11:42

    Vivi desse modo durante mais de 50 anos.Sem me aposentar decidi fazer outra coisa,mudar o rumo de minha vida.Estou me entrosando com o pessoal do FORMULA DE LANÇAMENTO e tenho certeza que tudo vai dar certo.O que eles prometem 4 horas de trabalho por semana me dará tempo para passear,viajar,curtir meu marido,cuidar da minha saude e da forma física, além de terminar a obra quejá comecei.E isso é tudo o que desejo!

    Responder
  19. Wedja  27/05/2015 - 12:11

    Andréa Mota,
    Mulher admirável,corajosa e fonte de inspiração de muita gente!!!
    Parabéns pela sua trajetória Andréa.
    Sucessos sempre..

    Responder
  20. Roberto Caruso  27/05/2015 - 12:18

    Andrea, ótimo dia! Espero e desejo que sua história possa ser compartilhada com o maior número de pessoas e principalmente com jovens e docentes de escolas e universidades, pois são os modelos que de alguma forma irão influenciar os novos profissionais do mercado.

    Você certamente não precisará subir os Himalaias, nem tão pouco fazer uma travessia pelo Mar ou Terra dando a volta ao mundo para ter uma excelente oportunidade de compartilhar o conhecimento que vivenciou, profissionalmente e pessoalmente.

    Sou um fã incondicional de pessoas que tomam o destino de suas vidas em suas próprias mãos e você já faz parte das que admiro. Acredito que não há bem maior que reconhecer a própria vida e ter coragem de desafiar o Status Quo, só acontece quando nos permitimos pensar de forma diferente.

    Parabéns pela sua decisão, pela sua escolha e ATITUDE. Desejo que a cada nova conquista você possa ter um delicioso momento de risos e gargalhadas, pois como um dia escreveu Victor Hugo, “A Garagalhada é o Sol que varre o inverno do rosto humano”. Grande abraço e vida longa. Atenciosamente, Roberto Caruso.

    Responder
  21. Viviane  27/05/2015 - 12:46

    Muito interessante o texto. Pra mim é tentar ver o outro lado daquilo que eu sempre sonhei pra mim.
    As vezes paro e penso que deveria ter me esforçado mais, enquanto criança e adolescente, porque não me imagine aos 26 anos como estou, tentando uma chance no mercado. Estou feliz, sim estou sai da casa de minha mãe, (não porque queria sair de casa, mais porque necessitava correr atras do meu crescimento profissional antes que fosse tarde), estou em uma cidade nova, consegui um emprego, na área a qual eu realmente queria. Aí eu fico me imaginado daqui a 5 anos, vou estar com 31, quero chegar a uma coordenação, uma gerência na área de compras, quero ter minha casa e filhos, e com uma relação de dez anos o tempo passa muito rápido e as vezes parece que nao vai dar tempo de conseguir o que eu quero…talvez eu esteja sendo você quando mais nova, só que eu tenho 26 anos e tenho a certeza que eu ja deveria ter feito inúmeras coisas. O tempo passa rápido de mais.

    Responder
  22. ADRIANE SIMONE TEDERKE SANTIAGO  27/05/2015 - 12:58

    Boa tarde !

    Adorei o texto e, saber que dadas as devidas proporções de função, as dúvidas que passamos, as doenças psicossomaticas e a necessidade de mudança é compartilhada por outras mulheres profissionais.
    As vezes parece que estamos ficando “fora da casinha” quando estes pensamentos rondam.

    Parabéns a Andrea que já tomou sua decisão. A decisão da minha mudança profissional deverá ser em breve.

    Abraços,

    Responder
  23. carla  27/05/2015 - 14:00

    Andreia não a conheço pessoalmente mas trabalhei no O Boticário e vivi um pouco do seu trabalho. Excelente profissional. Bjsss e sucesso

    Responder
  24. Moraima Rangel  27/05/2015 - 14:15

    Poderia contar quase a mesma história, acrescida de três anos morando em cidades diferentes da que residia minha família. O que acho mais grave nesse depoimento é perceber que as empresas perdem, paulatinamente, a contribuição significativa que podemos dar por insistir em um modelo de ambiente de negócios hostil à construção de uma vida plena e uma sociedade mais equilibrada. Não é utopia, é visão estratégica.

    Responder
  25. Suely Fonseca  27/05/2015 - 14:45

    Me identifiquei completamente. Fiz isso há um ano e não me arrependi.

    Responder
  26. Sandra Mara Choma  27/05/2015 - 14:51

    Andrea, não cheguei a diretoria mas também trabalhei 25 anos em uma multinacional, e depois de dois anos como consultora e dona do meu nariz tenho a plena convicção que esse é o meu caminho e quero ajudar outras mulheres a não sofrerem no mundo corporativo. Para isso junto com 10 amigas estamos montando um projeto para ajudar as mulheres no desenvolvimento das suas carreiras com equilíbrio. Precisamos de um modelo mais equilibrado no mundo corporativo, isso é necessário para as mulheres e acima de tudo para a sociedade.

    Responder
  27. Giovanna Albuquerque  27/05/2015 - 14:58

    Esta mulher eu tive o prazer de conhecer e atender em 3 convenções de O Boticário e posso aqui dizer que coragem é o seu nome e ser humana é sua maior virtude. Parabéns pela assertiva decisão e Seja Feliz Andrea.
    Giovanna Albuquerque

    Responder
  28. Mônica Andreia Gude Burgarelli  27/05/2015 - 15:00

    Oi Andréia Parabéns pela sua atitude…gostei muito de ler seu texto.
    me identifiquei com vc nesse aspecto e imagino o que vc tem passado pois, já trabalhei por 10 anos em um grupo do Boticario e passei por várias áreas; cons.temporária, consultora, venda externa e gerente de loja e amava o que fazia,aprendi muito apesar da cobrança e muito trabalho. quando tive minha primeira filha optei em sair da empresa pois a minha filha e família agora seriam minhas prioridades. decisão difícil, por outro lado aprendi que nossa segurança e futuro estão nas mãos de Deus. guardo as boas lembranças

    Deus te abençoe

    Responder
    • Minnie  23/12/2016 - 19:25

      Stay inaoimftrve, San Diego, yeah boy!

      Responder
  29. Thaís Éboli Haddad  27/05/2015 - 15:27

    Sempre tive profunda admiração pela “Andrea executiva”. Atendi a conta de O Boticário por muitos anos através de sua agência, e em todas as ações que tratávamos, imprimia sua personalidade, ainda que nossa relação noa fosse direta. Hoje, acompanhando essa sua decisão de vida, a admiração ganha uma outra dimensão. Admiração pelo resgate à vida, que não se dá apenas no âmbito profissional, mas às relações humanas, fraternas, sociais e sobretudo familiares. Que tudo daqui em diante seja leve para vc, Andrea, à altura do que sempre mereceu, daquilo que sempre entregou não só ao O Boticário, mas à todos, que direta ou indiretamente, se beneficiaram da sua competência. Parabéns, sucesso e vá a luta!!!!! Gde beijo!

    Responder
  30. Carolina Borges  27/05/2015 - 15:48

    Enriquecedor ler isso agora.
    Agora, que eu digo, é um momento de meu crescimento pessoal e profissional, há dois anos sai do conforto do meu estado e casa dos pais para me aventurar em SP, sozinha, com um emprego que queria. Minha empresa está longe dos números do Boticário, mas a jornada de 12/14 horas, reuniões, otimizar vida para o cliente, dar suporte, etc, é extremamente cansativa. Por fazer dois anos de empresa eu já estou pedindo água e sombra, mas ainda quero arriscar mais um pouco, não sei ainda por quanto tempo, realização pessoal quando ligada à profissional precisa ser bem administrada.
    Sucesso na nova empreitada :)
    Não lhe conhecia e admirei.

    Responder
  31. Luiz Delfino  27/05/2015 - 16:10

    Parabéns pela iniciativa de relatar aqui sua belíssima experiência profissional e a coragem na tomada de decisão.
    Adorei o relato deste momento de insight: “Apesar de serem ambiciosos, muitos resultados foram entregues quatro anos antes. Não seria natural me sentir feliz, muito motivada? Eu me perguntava “O que está acontecendo comigo?” Não entendia o estresse no lugar da felicidade. Acontece que eu já estava na rota irreversível do processo de autoconhecimento.”
    Antes de tudo, Seja Feliz!!

    Responder
  32. Armando Antonio Sequine  27/05/2015 - 16:15

    Andrea nos deixou um legado dentro do Boticário! Quando vi e assisti ao depoimento interno sobre sua saída fiquei sem chão (literalmente), mas ao ler a matéria consegui entender os porquês…e o que mais me marcou foi o fato de ela responder às mensagens via Rede Social para cada pessoa. Isso me impressinou! O humanismo dela é admirável.

    Responder
  33. Francine Reis  27/05/2015 - 16:31

    Andrea, assim como inúmeras mulheres que leram seu depoimento e se identificaram com seu relato aconteceu o mesmo comigo. Deixei no final do ano passado um cargo de Superintendente em uma instituição educacional para recuperar minha saúde e meu equilíbrio. Percebo que o mercado de trabalho precisa mudar urgentemente! Não é mais possível mulheres (e também os homens) viverem uma rotina de trabalho insana e infeliz. O desafio é como fazer esta mudança! Um abraço.

    Responder
  34. Evandro Madeira  27/05/2015 - 17:02

    É incrível como uma profissional tem a capacidade de inspirar, conduzir, orientar e ser exemplo. Mas ainda mais incrível é quando a profissional da espaço para a pessoa e esta, mais uma vez, inspira, conduz e orienta de alguma forma. Foi um prazer, um privilégio ter sido conduzido por você Dea. Admiro ainda mais. Que você tenha paz, felicidade e acima de tudo, muito tempo para construir um futuro lindo. Adoro você.

    Responder
  35. Mariana  27/05/2015 - 18:00

    Nossa, sabe ha 6 meses assumi uma chefia na empresa onde trabalho. Nunca quis ser chefe, sempre disse que pagava pra nao me incomodar, mas pensando na grana, assumi. Ha 10 dias tive uma tontura e desde la me sinto mole, fraca, tonta e com sensação de desmaio. Todos me dizem que é psicológico, estress. Dificil de aceitar diante do que sinto fisicamente. Mas sera?

    Responder
  36. Ana Cristina  27/05/2015 - 19:16

    Interessante! Tenho passado pelo mesmo processo e estou com dificuldades de mudar a rotina e recomeçar.Lendo esta história, vejo o quanto é necessário.É opção única.Parabéns, por compartilhar sua história, me ajudou muito!

    Responder
  37. Karla Mota  27/05/2015 - 19:58

    Mana querida! Sempre me emociono quando testemunho a sua coragem e determinação! Você, mulher de tantos valores e talentos, mais uma vez, com sua determinação e confiança diz a nós mulheres: vocês podem e tem o direito de recomeçar. São tantos afazeres, deveres e senões, que ao final do dia, já não nos lembramos mais que em algum momento tínhamos desejado mudar. Sei que mudanças são difíceis, quebrar paradigmas, sair da zona de conforto mais ainda. Mas aprendi com você que é preciso ser feliz e, para tal, é preciso que prestemos atenção aos nossos sentimentos e sinais do nosso corpo, que fala e até grita. Tenho muito orgulho de você e quero finalizar dizendo, obrigada! Este agradecimento vai em nome de todas nós mulheres que, através do seu exemplo, possamos nos inspirar para mudar o que não nos faz feliz! Te amo muito!

    Responder
  38. Morjana Dantas  27/05/2015 - 20:50

    Andrea, estou no período do meu Detox , que voce iniciou . Como voce sou baiana , começei como regional em um grande companhia e também fui ser executiva em São Paulo, era a única mulher no meio de 10 homens executivos , respondia diretamente ao presidente da empresa, viajava pelo Brasil e outros países,jantares, eventos, reuniôes tinha metas ,preparava planejamento estratégiocs, ou seja conheço bem esta rotina que nos vicia .
    Mas o que além de tantas experiências parecidas, o que mais me chamou atenção no seu relato, foi quando voce descreveu que a sua necessidade da independencia finaceira após a separação dos seus pais, assim como voce , esta foi a minha grande motivação .
    Espero poder te encontrar aqui em Salvador, onde estou no momento e quem sabe beber uma agua de coco.
    Boa sorte e seja feliz !

    Responder
  39. Adriana Hoshi  27/05/2015 - 21:19

    Linda história de VIDA! Tenho a mesma idade que você, administradora também. Mas me cansei do mundo corporativo. Em uma das “crises” da última multinacional para qual eu trabalhei, meu salário é um dos mais altos e fui cortada. Foi a melhor coisa que me aconteceu. Decidi ajudar meu marido em nossa microempresa (um Pet Shop). Hoje tenho mais vida, muita qualidade de vida, bem mais perto da família. Enfim, feliz da vida! Parabéns para nós, teremos mais anos a viver.

    Responder
  40. Estela  27/05/2015 - 21:30

    Me inspirou muitíssimo. Em alguns momentos cheguei a pensar que se tratava da minha própria historia. Obrigado por compartilhar !!

    Responder
  41. Zaida  27/05/2015 - 22:29

    Andrea. Minha história é muito parecida com a sua, e me vejo precisando tomar essa decisão aos 40 antes que o vício pelo trabalho seja maior do que eu. Só falta a coragem.

    Responder
  42. Fabiana Pereira  27/05/2015 - 23:39

    Parabéns é louvavel o que voce fez, digno de todo respeito e admiração, saiba que exste tempo pra tudo, e com toda certeza esse momento te fará tão ou mais feliz anda ..

    Responder
  43. Jaime  28/05/2015 - 06:05

    andres – parabéns pela lucidez em fazer uma decisão tão importante! Sucesso nos novos capítulos de sua vida!!!!

    Responder
  44. Gustavo Queiroz  28/05/2015 - 06:36

    Dea,
    Acompanhei boa parte da sua brilhante trajetória, antes ate da sua passagem pelo grupo. Além de uma executiva diferenciada, vc sempre foi um ser humano muito especial, bom de conviver, fácil de admirar. Desejo a vc td de melhor nessa nova fase, não tenho dúvidas que vc é Natan serão abençoados!
    Bj grande pra toda a família!

    Responder
  45. Rosa Virginia Motta Freire de Carvalho  28/05/2015 - 07:18

    Essa é a menina mais “danada” que já conheci! Colega e parceira no staff da Diretoria de Vendas e Atendimento do Banco Nacional, lembro da corrida pra receber um filme de SP pra reunião em Salvador, que com muita garra conseguimos! Saudades. Obrigado por ter feito parte na minha vida!
    E SUCESSO em sua nova escolha!

    Responder
  46. Rosa Virginia Motta Freire de Carvalho  28/05/2015 - 07:26

    Essa é a “menina” mais danada que conheci! Colega e parceira no staff da Diretoria de Vendas e Atendimento do Banco Nacional, lembro da corrida para receber um filme de SP que não chegaria, para um reunião em Salvador, e que com muita garra conseguimos!
    Obrigado por ter feito parte da minha vida.
    SUCESSO E PARABÉNS PELO DESAFIO.

    Responder
  47. Beth Ribeiro  28/05/2015 - 08:23

    Parabéns!!!! Muitos irão achar que foi um ato de covardia, outros de medo, alguns uma síndrome ou um pânico!!Na minha humilde opinião eu diria que foi um ato de CORAGEM sem tamanho!!!
    E podemos acreditar que a hora de mudar não é somente no declínio mas sim na maior das ascensões@@@@

    Responder
  48. Paulo Alves  28/05/2015 - 08:41

    Bom dia Andrea!

    Parabéns pela sua decisão. Idenfiquei muito com seu depoimento. Depois de 28 anos dedicando a maior parte do meu tempo em uma das maiores Institucão Financeira do mundo, hoje também estou passando pela fase de reflexão, curtindo mais minha esposa, minha filha (18) grávida de 8 meses e meu filho (12).

    Um pouco diferente para o homem – cuidar da casa: levantar cedo, fazer o café, por a mesa, levar a filha no obstetra, acompanhar o estudo do filho, lavar louça, lavar roupa, cuidar dos cachorros, observar e resolver os problemas do dia-a-dia de um “Lar”! Rsrsrs.

    Hoje com 49 anos, estou percebendo o quão importante é viver com simplicidade e com cumplicidade. Acredito que esta etapa da minha vida será um grande aprendizado e com certeza fará parte do meu currículo de vida.

    Neste momento ser acompanhado por terapeutas e pela psiquiatria é necessário, mas quero depois de um tempo poder dizer para mim mesmo – estou renovado e pronto para novos “desafios”, mas com dedicação igualitária, ou seja, distribuida igualmente para a esposa, filhos, lar, trabalho, lazer, amigos, saúde, etc… Enfim, viver com simplicidade.

    Mais uma vez parabéns!
    Paulo

    Responder
  49. Juliano Amidianski  28/05/2015 - 09:09

    Simplesmente magnífica! Em um mundo cheio de vazios ainda existem pessoas que inspiram! Você Andrea Mota confirma que o sucesso profissional é a consequência de muito esforço e comprometimento, mas vai além, mostra que existe uma lacuna imensurável entre “apenas” se obter sucesso e SER SUCESSO… O sucesso está entrelaçado em sua essência existencial. Como é bom saber que ainda existem mulheres cheias de um universo singular por excelência/existência… Você é a mistura de inteligência, história, sensibilidade e personalidade. Enfim, uma raridade! E nem vou falar de beleza, pois dizer que és linda seria pleonasmo hehehe… Grande beijo!

    Responder
  50. Adriane  28/05/2015 - 09:29

    Andrea, não sei se você irá ler esse comentário, mas deixo aqui uma sugestão: Existe o Instituto Maurino Veiga e o Treinamento Evolution, é ótimo para quem quer uma qualidade de vida ainda melhor, tanto na sua vida pessoal como na vida profissional. Eu recomendo!!!!

    Responder
  51. Renata Romero Curta Lenços Femininos  28/05/2015 - 09:50

    Não podemos dispensar o que é essencial nas nossas vidas por valor $$$ algum… Principalmente não trocar a PAZ por cargo, dinheiro, ambição alguma! Não tem nada melhor do que a paz… O estresse prejudica a saúde… Não adianta ter dinheiro se não tiver saúde para usufrui-lo! Lembrando que quanto mais “cargo”, mais cobranças… mais metas… mais responsabilidades! Digna de aplausos, mulher corajosa!!!!

    Responder
  52. Ane Flavia Saldanha  28/05/2015 - 10:44

    Cara Andrea,
    qdo soube de sua historia, me identifiquei em 100% de seus sentimentos!
    claro que a empresa na qual trabalhei por 20 anos não tem o porte do Grupo Boticário! Sou arquiteta, e queria transmitir a minha mais sincera admiração e gratidão, por vc expor esta decisão e sentimentos que a envolveram, de modo tão honesto e honroso!
    Abraços!

    Responder
  53. Simone Siman  28/05/2015 - 10:50

    Andrea, enquanto lia a matéria, pensei mais de uma vez sobre sua coragem ao expor sua decisão e o que a motivou… Em seguida, vi seu comentário sobre ter ficado com o coração aos pulos e feliz diante da expectativa da publicação do seu depoimento. Me deu vontade de te dizer que ainda que não a conheça de perto e que você não saiba ao certo sobre seu futuro, sinto que está no caminho certo…Afinal, intuição, deriva do latim ” intuére” , que ao pé da letra significa ” ouvir de dentro”. Não faz muito tempo, ouvi uma pessoa definir a ” coragem” como algo racional…Pois exige autoconhecimento e discernimento para avaliar riscos…E que o ato corajoso vem depois desta análise acompanhada de uma vontade de superar o desafio…Que para haver coragem é preciso haver o medo antes, senão não seria coragem…Seria loucura…Parabéns!!! Muitas mulheres, como eu, se identificarão com sua vontade de abrir o coração e a mente para alçar novos vôos…E abraçar o que realmente faz sentido na vida! Quem já enfrentou situações limites aprende que a felicidade a gente vive, mas é na dor que crescemos e descobrimos forças que nem imaginávamos possuir…É nos momentos de dificuldade que damos mais valor às coisas simples , aos pequenos gestos e vemos a grandiosidade da vida…Que olhamos com mais fé para o horizonte…Como bem compôs Walter Franco, ” Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo” . Quando puder, assista este vídeo de 5 minutinhos …http://youtu.be/sglbbzuIUxs
    .Nele, o filósofo Mário Sérgio Cortella diz que ” Vida Simples não quer dizer uma vida de precariedade, mas, sim, de suficiência e de poder repartir!” E faz uma reflexão interessante sobre a distinção entre essencial e fundamental…Acho que vai gostar! Todas as boas energias do mundo!

    Responder
  54. Mara Avena  28/05/2015 - 10:57

    Emocionante!
    Parabéns Andréa, pela coragem de enxergar (muitos não conseguem, não querem enxergar), assumir e se expor de maneira tão sincera.
    Siga em frente e seja feliz!

    Responder
    • Mara Avena  28/05/2015 - 10:58

      aprovado

      Responder
  55. Priscila Monteiro  28/05/2015 - 11:15

    Nossa sou sua admiradora , trabalho Na fraquia do Sergio Nogueira .sou grata a essa empresa que é a Srn .Lendo seu depoimento fico triste por sair pois nao tive opprtunidade de conhecela pessoalmente ,mas sei que quem a conheceu disse que vc tem uma energia muito boa. Quero que saiba que gostei muito da sua materia é acho muito motivadora.Parabens pelo seu trablho e saiba que nós consultoras e gerentes de Loja admiramos muito seu trablho e sua coragem de largar sua carreira em pró da familia . Parabens sua Linda mulher Guerreira e de fibra bjs

    Responder
  56. Rosaria Amaral  28/05/2015 - 12:23

    Seu depoimento é um “norte” para muitas mulheres que passam por esse mesmo momento e não conseguem identificar a razão. Vejo que estamos caminhando cada vez mais para “fora da caixa”, enxergando outros caminhos…que há vida lá fora! Agradecemos todas seu depoimento e à jornalista Brenda Fucuta.

    Responder
  57. Nathália Silvestre deMorais  28/05/2015 - 12:35

    Andrea, uma decisão difícil, com certeza muitas mulheres passam pelos mesmos conflitos. Enxergar, entender, identificar e TOMAR A DECISÃO é a primeira parte da dificuldade…. Em seguida vem a segunda PARTE : E agora o que fazer ? Porque afinal mudar de carreira e de vida não significa necessariamente não ter uma atividade profissional… e como você mesma disse tenho mais 20 anos para uma segunda profissão e depois mais uns 10 para a terceira profissão….. DE QUE FORMA VC ESTÁ IDENTIFICANDO QUAL SERÁ ESSA SUA SEGUNDA PAIXÃO, ATIVIDADE QUE VAI SEGUIR PELOS PRÓXIMOS ANOS, DE QUE FORMA ESTÁ SE DESCOBRINDO… Essa é a segunda parte mais difícil como descobrir suas outras aptidões se anos e anos nos aprofundamos e crescemos nas aptidões do trabalho executivo…. ? COMO ?

    Responder
  58. Lorena Araújo  28/05/2015 - 12:49

    Andrea, fui de Eudora, abrimos caminhos aqui no DF, mas por mais que eu amasse o que eu fazia, onde estava e pra quem eu trabalhava, a família e minha saúde estava num deficit tão grande que não pude suportar! Não devia prejudicar quem ou o quê amava. Não podia me dedicar plenamente a algum dos lados, sem prejudicar totalmente o outro. Sai de Eudora, feliz com meu passado, contente com meu presente e eufórica com meu futuro! Certa de nossa decisão, Parabéns a nós, que nos permitimos a escrever uma nova história e temos o apoio daqueles que importam!! Saúde!!

    Responder
  59. valeria aparecida  28/05/2015 - 13:18

    Parabéns, uma estória inspiradora mesmo!! bjs

    Responder
  60. sandra virginia albiero diragitch  28/05/2015 - 15:23

    Minha estória é outra: trabalhei no Boticário por 11 anos, consultora, assist. administrativa e gerente. Hoje sou aposentada por invalidez, artrose nos 2 joelhos, em um já coloquei prótese e falta operar o outro. Muito difícil a dupla jornada, mulheres que têm que trabalhar e cuidar de filhos . Várias horas em pé, no atendimento á clientes. Mas , graças à Deus estou aposentada com um salário pequeno, mas, paciência. Fiz minha parte também no grupo Boticário, não tão importante, mas, de grande valor p/ mim. Parabéns á D. Andréa e que seja feliz em sua nova carreira.

    Responder
  61. Maria Paula Thompson  28/05/2015 - 16:52

    Achei muito legal o seu depoimento, Andrea! Eu imagino o quao dificil foi para voce, e ao mesmo tempo, necessario. Passei por algo parecido, logico que nao na proporcao da sua historia, mas tive que tomar uma decisao de deixar tudo para tras para, simplesmente, ser mais feliz!
    Parabens pela sua decisao. Tem horas que desacelerar eh imprescindivel.
    Abracos e viva sua vida com mais calma. Nos so temos o presente…

    Responder
  62. ANTONIO CARLOS LOPES  28/05/2015 - 17:32

    Nada no mundo justifica a mulher deixar os filhos com babá e empregada para cuidar de uma empresa….

    Responder
  63. karine gomes  28/05/2015 - 18:43

    Ano passado O Boticário me premiou com uma viagem à Curitiba, para conhecer a indústria, durante a semana Beleza Gera Beleza. Tive o prazer de almoçar com a Andrea, junto com um grupo de outras nove mulheres. Fiquei impressionada com a energia dela e imaginava como seria a rotina de uma mulher na posição em que ela ocupava. Agora, com esse texto relatando toda essa experiência dela, admiro ainda mais a sua pessoa. Me inspirou muito.

    Responder
  64. Priscilla Vieira  28/05/2015 - 19:48

    Parabéns Andrea! Você inovou, reinventou e transformou sua vida para ser feliz! Quando decidimos por mudança tudo nos leva a novas realizações. Para ser feliz vale a pena mudar! Abraço

    Responder
  65. Adriana Pedruzi  28/05/2015 - 19:56

    Admiro e sou fã de mulheres assim, competentes no que fazem e decididas em suas escolhas. Muita paz e sucesso em seus novos projetos. Não existe realização maior do que ver a nossa grande empresa dando certo: a nossa família.

    Responder
  66. Elias  28/05/2015 - 20:30

    Parabéns pela ousadia! ioga te ajudaria nessa loucura!

    Responder
  67. Marcelo Hellmeister Canal  28/05/2015 - 21:58

    Neste caso o coaching poderia pelo menos ter evitado o burn out um ano antes. Mas ficou tentando simplesmente aumentar as ” outras representantes da mandala” não se dando conta que se tratava ali de uma profunda crise de sentido de vida. E isto não se resolve com coaching. Mas com restruturação biográfica de carreira.

    Responder
  68. Helianto cê  28/05/2015 - 22:50

    Andrea. Somos tantas com as mesmas questões. Mas não são todas que conseguem dar a virada. Por vários motivos. Parabéns! Não a conheço, mas a cumprimento com respeito.

    Responder
  69. eliane  28/05/2015 - 23:18

    Na próxima vida quero ser igual a você

    Responder
  70. Solange Rigotti  28/05/2015 - 23:31

    Andréa, entendo perfeitamente a sua posição. O nosso maior patrimônio é a nossa saúde e trabalhar e se realizar no que fazemos é compensador, porém o dia só tem 24h e ao mesmo tempo que parece muito, na realidade é pouco se computarmos 12 horas p/ o trabalho, mais 7 ou 8h de sono, sobram apenas 4 ou 5h p/ as demais atividades e papéis que temos que desempenhar. Sendo assim, não sobra tempo p/ a família, o lazer, atividade física e até um tempo ao ócio que é necessário para contrapor o estresse que a vida nos impõe no dia a dia. Enfim, parabéns pela decisão, que no meu modo de ver foi sábia, que independente dos anos que vamos viver ainda, eles devem ser vividos plenamente e da melhor maneira possível. Penso que a máxima: “Prestígio e dinheiro é bom, mas não é tudo” ainda conta, e muito. Parabéns Andréa e sorte nessa nova fase que vc escolheu viver.

    Responder
  71. Andreia Martins  28/05/2015 - 23:56

    Andrea, trabalhei 8 anos como gerente e um ano como multiplicadora de uma franquia do Boticário wm 2014 eu pedi demissão para viver a maternidade.Te conheci na Bahia na convencao de gerentes em 2013.Sua história é fantastica, sempre te admirei, agora virei fã. Um beijo minha querida.Sucesso sempre.

    Responder
  72. Kely Vizentim  29/05/2015 - 01:09

    Era o que eu precisava ler para ter certeza que tomei a decisão certa! Também desacelerei, escolhi um caminho mais tranquilo, para me ver livre do estresse que consumia minha saúde, e conseguir estar mais presente na vida da minha filha. E estou descobrindo que essa vida com “menos excesso e mais simplicidade” também é viável!

    Responder
  73. renata ramazotti  29/05/2015 - 08:45

    Parabéns Andrea pela sua atitude, tenho certeza que enfrentou muitas críticas, mas,foi adiante e pensou em você e sua família.
    Não posso comparar a mudança que fiz em minha vida com as mudanças que você fez como executiva.
    Eu também era dá,área de vendas em São Paulo capital, trabalha em uma organização líder de mercado no Brasil, e chegou um momento em,que eu e meu marido demos uma volta se 360 graus em nossas vidas, eu abri mão daquilo que eu amava fazer para dedicar—me a nossa mudança de vida , meu marido conseguiu sua transferência na empresa para uma filial no interior ( ele também trabalha em uma organização multinacional líder mundial ), e agora após quase um ano dá uma mudança drástica de vida ( para melhor) , estou avaliando meu retorno para o mercado de trabalho.
    Para nós mulheres creio que a,cobrança torna—se mais pesada, nossas responsabilidades perante a sociedade é absurda.
    Seja feliz e parabéns novamente pela coragem, por esta sua atitude sua que mostra quem você é e porque obteve sucesso.

    Responder
  74. Cristina Brito  29/05/2015 - 09:17

    Andrea vivenciei uma situação muito parecida, parabéns pela belíssima história e muito sucesso em um caminho novo muito abençoado, calmo e feliz. Um abraço!

    Responder
  75. Ama de Fátima Diad  29/05/2015 - 12:22

    A minha história ê muito parecida com a dela… Depois de 25 anos como executiva passei por tudo que ela passou! Neste momento estou recomeçando um novo ciclo profissional, mas não como executiva de uma grande empresa com tudo que vem junto neste pacote! Fico feliz em saber que não é só comigo que tudo isso acontece ….. Parabéns Andrea Mota! É um grande prazer conhecer sua história. Bju

    Responder
  76. Marina Rezende  29/05/2015 - 13:03

    Excelente depoimento! Me identifiquei bastante, guardadas as devidas proporções de quem tem 35 anos de idade, 13 de carreira, coordena um time de Compras, Cadastro e processamento de documentos em uma grande empresa do ramo de varejo!

    Me sinto estafada, cansada, às vezes penso em desistir mas a necessidade de financeira e a responsabilidade de criar um filho que depende só de mim são maiores…

    Penso em como me redescobrir, como me reinventar, porém sem desistir, preciso do recurso financeiro.
    Novas metas me são dadas a cada dia, novas áreas passam para minha coordenação sem que eu necessariamente tenha opinado a respeito. Argumentam que são “oportunidades”! E sem dúvida são mesmo!

    Me pedem para buscar energia em uma fonte quase seca… preciso de férias! Urgente!
    Mas, e no retorno?

    Responder
  77. Monica Santanna  29/05/2015 - 14:00

    Belo depoimento. Com certeza foi inspiração para mim e muitas outras que as vezes vivem o mesmo dilema. Parabéns pela decisão.

    Responder
  78. Ana Claudia guersoni  29/05/2015 - 17:10

    Amei! Entendo super isto de nova carreira! Tenho 43 e estou na 2a.
    Sou médica e com 25 anos já era Pediatra, agora estou a 8 anos na
    Ind Farm. Mas o mundo corporativo te faz levar uma vida Mto doida,
    Por mais q tenhamos uma Equipe. Ainda sou separada e pai e mãe
    Ao mesmo tempo. Me sinto um artista equilibrista! Adorei ler sua
    História e só nós mulheres mesmo p termos tantas habilidades!
    Parabéns e seja muiiiito feliz!

    Responder
  79. Elaine Giroto  29/05/2015 - 19:57

    Extremamente corajoso, ético e posso dizer que atitudes como esta, são para pessoas que estão no auge de sua sabedoria. Você irá se surpreender com tantas possibilidades à sua frente e agora com outras prioridades, dar ênfase ao que realmente importa, o que agrega valor à sua vida. Vivemos para sermos felizes e para fazermos a diferença no mundo! Realmente inspirador Andrea! Bjos no coração.

    Responder
  80. Links de Maio! - Chez B.  29/05/2015 - 21:03

    […] Não quero mais ser executiva – e isso não é ruim {Mulheres Incríveis}: Fiquei impressionada com esse relato, da ex-executiva do Grupo O Boticário, Andrea Mota. Ela contou tudo o que viveu até chegar a decisão que mudou totalmente sua vida. Vale a leitura! […]

    Responder
  81. Linda  29/05/2015 - 21:21

    andreia, adorei sua história , e estou exatamente nesta fase depois de17 anos
    Construindo uma empresa, fiz exatamente o que você fez (coach, terapeuta ,homeopatia, Personal etc)
    E agora estou na fase detox da vida de executiva
    Para recomeçar com mais sabedoria
    Adorei sua coragem ,

    Responder
  82. Marilete Stringhini  30/05/2015 - 00:57

    Adréia querida, parabéns pela linda carreira e também pela sabedoria de perceber que há momentos de parar, de refletir e de olhar com outros olhos as coisas simples da vida! Beijos

    Marilete

    Responder
  83. Maria Dantas  30/05/2015 - 06:45

    Guerreira! Parabéns Andrea pela brilhante atitude.

    Responder
  84. Dâmaris Feld  30/05/2015 - 13:09

    Andréa, parabéns por decidir fazer diferente e por efetivamente implementar isso em sua vida! Sou do seu time. Quantas mulheres decidem isso em seu coração mas nunca chegam a ter a coragem de realizar isso. Que Deus te abençoe no seu novo caminho.

    Responder
  85. Maria Fernanda  30/05/2015 - 14:39

    Andrea, Parabéns por ter a coragem de virar a própria mesa e ganhar a chance de escrever uma nova história de vida!

    Responder
  86. Alexandre Imanishi  30/05/2015 - 20:35

    Querida Andrea,

    Maravilhoso depoimento e certamente uma “voz” para muitas executivas (e executivos) que vivem a angústia desse ciclo aparentemente brilhante mas que no fundo é doentio.

    Que dádiva você ter dado ouvidos ao seu coração e não a sua razão.

    Que esse seu novo ciclo, seja cada vez mais próspero, leve e fluido.

    Beijos.

    Ale

    Responder
  87. Lidiany Saless Mendes  31/05/2015 - 21:17

    Olá Andrea, tudo bem?

    Admiro sua coragem e determinação… Hoje passo por uma rotina desgastaste com viagens, reuniões etc…
    As vezes tenho vontade de largar tudo, mas me falta coragem e o que mais pesa é que amo o que eu faço.
    Pergunta que não quer calar é: você se arrependeu em algum momento? Quais são seu planos para o futuro? Você gostava do que fazia?

    Desde já agradeço.

    Atc,

    Lidiany Sales Mendes
    (61) 8262-6333

    Responder
  88. Alba Torres  01/06/2015 - 11:55

    Andréa, parabéns. è também um grande desafio reconhecer as necessidades da sua Roda da Vida como um todo e ter a coragem de decidir ser a protagonista da própria história. Já tive o prazer de prestar serviços para você no O Boticário e sua foto, sua história diz tudo. Mulher guerreira, realizadora, vencedora! Parabéns e muitas alegrias nessa nova fase.

    Responder
  89. maria ines ferreira  01/06/2015 - 17:45

    Impressionante relato, ainda mais para alguém em verdadeira ascensão, mas tomada em total consonância por respeito a sua vida pessoal. É fato. É impossível se ter tantas e tantas responsabilidades sem deixar que alguma coisa nos escape. Eventualmente, aquilo que nos é mais caro: nossos filhos, nossas famílias. E o estrago pode eventualmente ser magistral, porque podem ser colhidos os piores resultados. Nós, mulheres, corremos desesperadamente para atingir patamares que no fim das contas, tantos os envolvimentos, triplicamos, quando não,quadruplicamos nossas jornadas. Impossivel, ninguém pode fazê-lo, porque não nos foi permitido ser super mulheres. Sabia decisão, Andrea, com certeza vc. deve estar muito orgulhosa por sua decisão.

    Responder
  90. Arildo Flauzino  01/06/2015 - 20:47

    E como se bastasse ser a melhor executiva, será sempre o modelo “GENTE” que lembrarei com muito respeito e admiração. Com muita emoção, que agradeço por ter tido a honra de conhecer esse SER HUMANO, que continua a inspirar pessoas!
    Orgulho total dessa Incrível Mulher!

    Responder
  91. […] penso que agi por impulso. Em outras vezes, penso que foi a melhor coisa que fiz na vida. Lendo esse texto sobre uma executiva que desistiu de ser executiva, percebo que surtar seria questão de tempo na […]

    Responder
  92. Inês Almeida  02/06/2015 - 08:22

    Andréa, o mais interessante é ver como no passado foi e ainda será inspiração com a trajetória de sucesso e tão cheia de garra. Mas ainda mais sucesso ter a clareza dos limites e romper com o pré estabelecido em prol de sua busca pessoal. Mto inspirador, pois hoje de fato é angustiante termos que nos posicionar tão igualmente algo que nunca será igual, então obviamente o preço para cada um também não é.
    Desejos do melhor na nova fase e lembre-se sempre da sua escolha acertada ;)

    Responder
  93. Cléo Alexandre  02/06/2015 - 11:01

    O Segredo É Ser Sabio=Sucesso!!!
    Quem O É…..Em Todo Lugar E Condição Continuará À Ser!!!
    Na Empresa…Vida Dos Filhos…Marido….Amigos…Estranhos próximos….No MUNDO!!Sucesso!!!

    Responder
  94. […] Andrea Mota, ex-diretora de marketing do O Boticário tem uma mensagem linda paa você mulher que vive o aquele velho dilema vida x trabalho. […]

    Responder
  95. Esdras Guerreiro  06/06/2015 - 11:47

    Parabenizo a Andréa e a Brenda pela belíssima matéria que produziram. Fico feliz cada vez que ouço a história de uma Mulher que depois de ter alcançado o sucesso, percebeu que o verdadeiro sentido da vida não está na fama, dinheiro e poder. Ser a si mesma, ser o seu self com suas necessidades e virtudes é evitar alienamento, cuidar de sau saúde física, mental e de alma. Ao enveredar pelo caminho trilhado pelos homens nestas últimas décadas – e por isso mesmo sofremos do mesmo mal – as mulheres nos imitaram. Ser, realmente, Mulher é muito mais que isso que estamos vendo acontecer. Sua Existência merece essa Alegria, Andréa. “Viva a Bahia,Yáyá!”.

    Responder
  96. Josiane H. Percegona  22/06/2015 - 09:55

    Prezada Brenda,
    Espetacular a reportagem!
    Por favor repasse meu carinhoso recado à Andrea Mota:
    “Palmas pra você Andrea! Que coragem que você teve em se reinventar. Por favor, se você ainda não leu, leia o livro NUNCA MAIS RACHEL de Lisa Genova. É uma história que com certeza você se identificará. Um abraço e parabéns pelo belo depoimento”.

    Responder
  97. MARILIA BARCELLOS  24/06/2015 - 12:42

    O relato se parece muito com o cotidiano de muitas mulheres que conheço, inclusive o meu. Funcionária pública, que trabalha de 10 a 14 horas por dia. Não tenho orgulho de dizer isso, e tenho reavaliado esta condição profissional no qual nos colocamos nos tempos atuais. Busca de resultados e atender a demandas urgentes. Será que prioritárias? Tenho a sensação que somos uma geração que se colocou em uma “cilada”, tendo em vista a velocidade imposta pela tecnologia, dentre tantas outras coisas. Enfim…

    Responder
  98. Alex  21/07/2015 - 11:16

    Uma história bem VITRIAL que ocorre com a maioria dos executivos que desejam resultados profissionais e pessoais na vida. Considero algumas observações que passam despercebidas implicitamente. 1) Veio de família humilde e não tinha como abrir uma empresa ou trabalhar na empresa da família como os outros colegas – Obviamente precisava sobreviver, 2) Trabalhou mais de 24 anos no Boticário – Tempo o suficiente para acumular um dinheiro muito alto, visto que executivos que exercem cargos altos como o dela ganham muito bem, levando em consideração que um profissional com este perfil, com certeza tem muito mais beneficios a ser incorporados no pagamento do salário ( PLR, ABONOS POR RESULTADOS ALCANÇADOS), diga-se de passagem , são valores altíssimos. Com certeza, toda esta grana que obteve ao longo destes anos, hoje ela pode abrir uma excelente empresa. 3) Para uma executiva Mae, a situação é mais delicada pois as cobranças para estar com a família é grande. Agora me coloca como executivo de um cargo assim, não teria problemas algum, solteiro, sem compromissos com ninguém, apenas comigo mesmo. ( rs.rs.), 4) Matérias publicadas normalmente passam por um crivo de aprovação, para demonstrar ao leitor sempre aspectos positivos, obviamente fala-se do stress, da correria, da falta de tempo com a família, e por ai vai… observe como a matéria tem como foco o tema quase ” A VENCEDORA”, claro tem que vencer mesmo, bato palmas para pessoas assim, que vieram de família humilde e tiverem que enfrentar os desafios da vida. Mas se não fosse esta trajetória toda que ela percorreu, hoje não teria sua casa, todas as mordomias até para o tratamento que ela precisou fazer após a descoberta da doença, ( Olha que a lista de médicos é enorme, e médicos caríssimos) – Diga quantos brasileiros tem este poder econômico para bancar tantos médicos e SPA , 5) Ao longo destes 24 anos fez um histórico exemplar e um bom currículo para que qualquer organização de visibilidade ofereça uma boa proposta ou um cargo que atenda as necessidades dela, e veja a próxima empresa que ela foi contratada (DOM CABRAL) instituição de peso no mercado brasileiro. 6) Por ela ter sido uma estudante NERD, com certeza para chegar onde chegou, não foi somente a parte técnica que a fez ser uma excelente executiva, ela precisou de muitas leituras, pesquisas e conhecimento, e com certeza quando optou para ser uma executiva ela já sabia das implicâncias que acometeriam a sua vida pessoaL e da falta de tempo para ela mesmo. Uma pessoa sá e inteligente como ela não faria nada por acaso aleatoriamente sem pensar, tudo foi muito bem pensando estrategicamente, ainda mais se tratando de uma pessoa com formação em ADMINISTRAÇÃO, ela não entrou na profissão simplesmente por ter uma carinha bonitinha e que representa uma beleza ideal para uma marca de peso no Brasil. 7) Agora que ela esta com um bom pé de meia, esta mais que certa optar uma qualidade de vida justa e estar mais próximo daqueles que ama. Todos nós temos que fazer escolhas diariamente em nossas vidas, ela fez a dela e muito bem consciente. Talvez esta matéria não retrate as verdadeiras causas e saída dela da empresa. Com esta crise que estamos vivendo, há várias hipóteses que não devem ser descartadas com a saída desta executiva 1) Redução de custos da empresa, 2- Metas que fogem da realidade, 2- Stress realmente e cansaço de ter que encarar novos desafios e correria, reformulação de novas estratégias em função da crise,3) – Cansaço mesmo, talvez uma decepcao com o atual cenário econômico , e por ai vai, a lista é infindável…A grande questão é… esta VIVA, e com certeza ganhando muito bem no seu novo emprego… A matéria ficou ótima, e com certeza passou pelo CRIVO dela antes de ser publicada… Só faltava um titulo como ” MAE EXECUTIVA QUE VENCEU NA VIDA”. Eu particularmente, com todo respeito a matéria e a ela também, não gosto deste tipo de publicacao, pois coloca a pessoa lá em cima, como uma heroína, foi ela que escolheu tudo isso para pagar o preço de uma vida que hoje ela tem condicoes de bancar, bons restaurantes, boas roupas, excelentes viagens, os filhos provavelmente devem estudar em excelentes instituições e muito bem pagas… A Questão é …VC esta disposta a ter uma carreira profissional agitada… Eu estou, para pessoas solteiras não vejo problemas…MAS TUDO NA VIDA PAGAMOS UM PRECO, TUDO ESTA PALTADO EM ESCOLHAS, ela fez a dela…Entao que assuma as consequências. Ela foi muito inteligente, até no lançamento desta matéria….Assim seja!! Amém kkkkkk Eliene Ribas

    Responder
  99. Maria Lúcia  13/12/2015 - 13:50

    Boa tarde… Hj vendo o esquenta… Me
    Deparei com a Andrea Mota … Falando do que ela passou devido à
    Vida corrida de executiva … Síndrome de burnout… Fui franqueda do boticário durante 25 anos… Acompanhei sua trajetória… Sempre a admirava… Sabia q não
    Era fácil … Às vezes até comentava com
    Amigas… Via nas convenções tinha q
    Levar os filhos pra poder ficar mais perto… Parabéns q
    Vc
    Conseguiu mudar…. Seu estilo de vida …’sucesso nessa
    Nova etapa… E
    Isso q vale na vida… Estar bem … Feliz…?

    Responder
Deixe o seu comentário